.
O Segredo das Bruxas

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

E quando vem de berço?

Oi amores.
Como estão?
Espero que bem.



Hoje vim falar de uma coisa triste, o bullying. Muita gente passa ou já passou por isso.
Eu sou sempre a primeira a levantar a mão em prol de uma forma mais branda de ver as coisas, uma brincadeira pode ser mesmo uma brincadeira, e tudo deve ser estudado. Sou inteiramente contra essa mania atual de politicamente correto ao extremo, que sequer permite espaço pra se ver o que DE FATO acontece ali. E isso vale pra tudo. Toda história tem mais de um lado, e muitas vezes o de quem vê de fora, e pega as coisas fora de contexto, é completamente equivocado.

Bem, voltando ao texto... hoje vim falar de algo que sinceramente ninguém fala, e eu faz tempo queria escrever a respeito. Eu, desde que essa moda politicamente correta pegou, sinceramente, nunca ouvi ninguém mencionar esse fato. Algo notável, existente faz tempo e muito mais devastador que o bullying de adolescentes de escola. Eu falo daquele sofrido dentro da própria casa. Parece existir uma capa de proteção na família quanto a isso. Tudo o que a mãe diz e faz é com intenção de fazer bem ao filho... será? E mesmo que sim, será que é feito de forma certa? A mãe, o ícone de total amor, carinho e aceitação que é, seria capaz de prejudicar seu filho?

Talvez justamente pela mãe ser tudo isso que quando parte dela, é imensamente maior que vindo de qualquer outra pessoa. O excesso de críticas na infância, pode criar um adulto inseguro. Comparações, ridicularizações e culpa, mesmo com o intuito de educar, criam uma idéia de "amor condicional" vindo da família. o que vai refletir na imagem que a pessoa faz de si mesma, e consequentemente nos resultados que irá obter na vida. A pessoa se acha incapaz, não merecedora, mal querida, e consequentemente, não vai adiante.

Sou a favor de uma educação baseada mais em exemplos que em em culpas. Mostre ao seu filho como se faz, ensine o que é certo, sem chantagens emocionais... lembre-se que você não vai estar sempre aí, e quando ele precisar dar os próprios passos, ele precisa ter segurança pra isso.

Beijinhos


2 comentários:

  1. Anônimo18:09

    Nossa! Lendo seu post, vieram cenas da minha infância e adolescência na minha cabeça..... em casa cresci num ambiente de total insegurança e cobrança! Foi terrível, carrego essas lembranças ruins até hoje! Tenho 43 anos, faço terapia para amenizar essas "feridas". Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente é mais comum do que se imagina. Seja forte, pois só você pode curar sua vida.

      Beijinhos

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba por e-mail:

Quem lê?

Pra pensar:

Eu leio:


Design by Touka Arte